Comida por um velho rico

Categoria: 

Eu adoro ser desejada. Quem não gosta?

Eu adoro sair na rua e virarem o pescoço para me olhar de costas, adoro ser o centro das atenções por onde eu passo, adoro ver os maridos e namorados babando enquanto suas respectivas morrem de inveja de mim. Eu adoro ser objeto do desejo alheio.

Já fui levada a uma casa de Swing usando um vestidinho preto e sendo levada por uma coleira, só para me olharem. Meu acompanhante queria isso: que eu fosse desejada mas não tocada.

Eu provoco mesmo. Qual cara que não curte isso?

Já me disseram que sou um fetiche ambulante.

Um fetiche de 1,53, 46 kg, branquinha, tatuada, com cabelos negros, lisos e longos e lindos olhos azul turquesa. Sou uma guriazinha, quem me vê sempre me dá menos idade do que eu realmente tenho. Que delícia!

Eu fico imaginando o tesão que os caras mais velhos que me comeram sentiram.

A famosa ''chave de cadeia''.

Vocês vão ler muito nos meus relatos a paixão (e tesão) que eu tenho por homens mais velhos. E este é mais um deles.

Estou aqui escrevendo enquanto fumo um cigarro e bebo uma taça de vinho, deitada na minha cama de bruços. O cabelo preso num rabo de cavalo, acabei de sair do banho. Ainda estou de toalha rosa. Se tu fechar os olhos conseguirá sentir o cheiro do meu perfume no ar... Vem e deita aqui do meu lado, põe a mão entre as minhas pernas porque esse conto vai me molhar todinha... Quem sabe depois dele a gente não foda a madrugada inteira, delícia?!

Eu devia ter uns vinte e quatro anos. Conheci o Mustafá em um grupo de Árabes no Facebook.

Tivemos algumas conversas e ele me chamou para sair mas eu estava com viagem marcada para Casablanca no Marrocos com a minha família. Ficaria na casa da minha avó por cerca de um mês.

Neste tempo, continuamos conversando. Quando eu retornei, a primeira coisa que fiz foi aceitar o convite dele.

Sempre que tenho um encontro compro tudo novo: lingerie, sapatos, roupa, perfume. Eu adoro estar PERFEITA! Linda não é o suficiente para mim. Eu quero TODOS me olhando, me querendo, me invejando.

Quero que meu acompanhante me olhe e caia o queixo para mim.

Mustafá tinha 62 anos. Era divorciado e pai de uma guria que tinha quase a minha idade. Empresário, rico, bem sucedido.

Quando eu saio com homens assim sempre acham que sou acompanhante de luxo e isso me dá um TESÃO DO CARALHO!

Naquele dia de calor eu usei um cropped preto decotado, uma saia rodada florida, salto 15 como sempre, perfume Candy (Prada) e minha lingerie era branca de renda.

Quando nos encontramos, Mustafá me abraçou, me olhou de cima a baixo e abriu a porta da BMW para eu entrar. Não bastasse, me colocou o cinto. Ele ficou desnorteado com a minha beleza, se perdeu pelas ruas, quase bateu com o carro. Quando olhava os meus olhos só faltava babar.

Fomos a um restaurante muito conhecido (e caro) em São Paulo. Me levou um presente: um perfume Dolce & Gabbana. Ele queria me dar tudo, fez todos os meus gostos naquele dia. Todos nos olhavam, estava na cara o que eu era.

Depois do jantar, das compras, paramos em uma rua meio deserta. Ele me pediu para sair do carro, encostou na porta do passageiro e começou a me beijar. Sentia o pau dele roçando na minha coxa. Ele puxava o meu cabelo e forçava mais o pau em mim.

Desceu a mão e se deliciou com a minha buceta molhada. Período fértil, o melhor de todos para foder sem camisinha, a adrenalina de uma possível gravidez sempre me excitou. E excitou Mustafá também.

Pra quê Motel se fazer em local público é mais gostoso? ADORO platéia! Principalmente se alguém topar participar ali na hora...

Mustafá enfiou dois, três dedos grossos na minha bucetinha enquanto levantava a minha outra perna até a altura da cintura dele. Abaixou meu cropped e meus seios pularam para fora, os bicos duros de tesão. Ele passou meu mel neles e os abocanhou com voracidade. Adoro quando mamam em mim, quando me sugam e me ordenham.

Ele me virou de costas, abriu as calças, levantou minha saia e penetrou em mim. O pau dele não era tão grande nem tão grosso, mas a posição fez encaixar até o fundo, do jeitinho que eu gosto!

Me segurou pela cintura e me fodeu com vontade. Eu gemia e tentava me equilibrar naquela posição, meus peitos balançando furiosamente. Mustafá com o pau estocado na minha buceta agarrou os meus peitos e me fodeu tão rápido que o carro balançava com os nossos movimentos.

Uma loja que ainda estava aberta, era a nossa platéia. Os caras pararam para nos olhar e eu gozei só de me imaginar sendo fodida por todos eles, bem ali... Meu maior fetiche é ter porra de vários escorrendo em mim... Me imaginar engravidando de alguém que eu nem sei quem é já me faz escorrer no lençol...

Eu, ali, sendo fodida por um velho rico encostado numa BMW branca, eu com as coxas molhadas pelo meu gozo agora recebia os jatos quentes da porra dele dentro de mim.

Ele gozava e gritava, apertava meus peitos com tanta força e eu olhava para os rapazes e sorria.

''Queiram a putinha também'', eu pensava.

Quando acabou de gozar, eu tentei segurar ao máximo a porra dele dentro. Se vocês soubessem o quanto é delicioso sentir descendo na calcinha e depois lamber tudo...

Mustafá me deixou em casa com todas aquelas sacolas e uma delícia de porra espalhada na minha calcinha branca de renda.

O que mais o deixou excitado era a possibilidade de ter me engravidado. Só de falar isso no carro o pau dele ficou duro.

Nunca mais nos vimos, mas já faz anos que ele me convida para sair. Me oferece seus presentes caros... Mas naquele pau eu não gozo mais.

Quem sabe eu não goze no teu, leitor ou na tua boca, leitora.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201801252

Compartilhe com amigos

Copiar Link Whatsapp Twitter