Delirios insanos

Categoria: 

nao sei precisar ao certo, minhas lembranças. veem e vao como flahs , mas estao nitidas na minha mente , eu não estou louco, tudo isto não foram delirios. eu vivenciei tudo isto, que vou narrar. Tao certo como eu existo.

Creio que o começo de tudo foi quando minha esposa começou a frequentar aquele local. Ali se invocava o mal, entao começou aquela brutal mudança em nossas vidas e tudo piorou quando minha filha acompanhava a mae . despertando dentro de mim uma agonia enexplicavel. Eu estou lucido eu não estou louco. Eu sei ,bem aquilo e uma seita profana. e minha mulher e minha filha foram e estao sendo usadas por demonios estranhos que se apossaram de nossas vidas. E eu tambem estou subjugado a estes seres que se apossaram de nossas vidas. Eles querem me enlouquecer, mas eu não estou louco.

Naquela sexta feira acordei com os uivos de cães ao redor de nossa casa , levantei assustado arrepios percorriam meu corpo .sem saber como eu me encontrava levitando .ou melhor estava pregado ao forro da sala grudado pelas costas contra o teto o lustre as vezes ofuscava minha visão.mas nitidamente minha mulher era penetrada por um ser enorme um capuz escondia parcialmente o rosto do estranho ser que em PE cravava um enorme falo dentro da buceta dela que segura no lustre olhando fixamente para meus olhos lambendo os lábios serpentiando a língua gemendo chorosa num misto de muito êxtase e luxuria ajoelhada entre as pernas do macho minha filha sugava as bolas monstruosas do enorme saco do ser um odor animalesco envadia a sala fazendo meu nariz arder com o cheiro acre que com certeza exalava daquela besta que copulava com Marli minha esposa. Eu tentava gritar mas nenhum som saia da minha garganta aquele ser abominável tinha o controle da situação pois ele dominava a mim me deixando pregado no teto e usava Marli minha esposa e jade minha filha ao seu bel prazer . as vezes retirava o falo da buceta e enfiava na boca da jade que engulia toda aquela verga .oque parecia impossível mas eu via so as bolas ficarem de fora. Lagrimas escorriam dos olhos da minha menina mas o seu rosto estava repleto de luxuria e seus grunhidos eram com certeza de prazer. Marli como uma trapezista se balançava pendurada no lustre e eu pode ver nitidamente na sua virilha tatuado o numero 666. O numero da besta . aquele humanoide colossal ejaculou na boca da minha filha tendo convulçoes o cheiro de enchofre dominava o local os cães que uivam la fora estavam arranhando a porta . um vento gelado percorreia a sala quando a porta se abriu e sete cães negros abomináveis com seus falos erectos desencapados uivavam famintos dentro de nossa casa Marli e jade estavam sobre o sofá com as pernas abertas e na virilha de minha filha esta também gravado o demoníaco numero 666 ,,,,,,,,, continua

Compartilhe com amigos

Copiar Link Whatsapp Twitter

Comentar