ESTA MINHA BUCETA É UM PROBLEMA

Categoria: 

Ao longo da minha vida, passei por algumas situações muito gostosas em se falando de relacionamento com mulheres e sexo.

Dentro de um casamento longo, onde me dou muito bem com a minha esposa, mas sempre procurando oportunidades onde as presenças da safadeza, do proibido, do diferente pudessem fazer parte, até como alavanca para o meu relacionamento formal.

Assim fui a vida toda, com alguma histórias publicadas neste site, sob outro pseudônimo, impedido que fui de continuar escrevendo por respeito ao meu último relacionamento. Ela descobriu meu Nick e não gostava que eu escrevesse, acabando por perder a confiança, segundo ela.

Namoramos mais de 15 anos e o relacionamento foi esfriando, terminando por acabar, numa junção de problemas.

Sou réu confesso. Não consigo ficar sem respirar sexo, sem pensar naquilo, sem sonhar e imaginar as brincadeiras e descobertas, mesmo ao mais de 60 anos que estou hoje.

Gosto de calmaria, namorar gostoso, conhecer detalhes e preferências, provocar na medida certa, ser provocado, viver novas texturas, novos gostos, novos cheiros, reações diferentes.

Nesta “abstinência” de novas sensações, me vi provocando um cadastro num site de encontros e, em meio a tantas decepções, algumas situações me chamaram a atenção. Hoje conto aqui a primeira das experiências.

Nas várias oportunidades que conversamos, a Graziela se mostrou muito simpática, conversa inteligente. Muito novinha ainda, 20 anos, mas, universitária, papo gostoso, diferente até da média que da juventude de hoje. Escrita perfeita, postura adequada, assuntos, os mais diversos, sustentados com fluidez e raciocínio rápido, cada dia mais se mostrando uma agradável companhia.

Mais de duas semanas de papo, e as impressões se confirmando a cada dia.

Evidente que o assunto sexo iria e acabou acontecendo, dentro da sutileza que me agrada, leve, papo de amigos trocando experiências. Caramba, a vontade de conhecê-la pessoalmente estava batendo pesado, vamos arriscar...

- Grazi tenho um compromisso ai em Campinas amanhã, vamos almoçar junto ?

Resposta gostosa e que me agradou de saída: - Pode ser num lugar seguro tanto pra mim, quanto pra você ? Que tal o Shopping no Outback ?

Opa, gostei, embora tenha checado todas as informações dela nas redes sociais e, também fornecido dados para que ela tivesse a confiança firmada em mim, sem temer me encontrar, nada melhor que a cautela, isto era uma ótima referência.

Horário marcado, horário cumprido. Linda, 1,65m de altura, morena, dentes e boca maravilhosos, seios médios proporcionais à sua gostosura, olhos verdes, sorriso fácil, uma gata, alavancada pela juventude.

Eu não acreditava que aquilo estivesse acontecendo comigo.

A conversa inicial cheia de amenidades, informações sobre cada um de nós e durante a sobremesa a conversa sobre namoros, relacionamentos apareceu sobre a mesa.

Confessou-se liberal no sexo, com pouquíssima experiência, no entanto, já que perdera a virgindade efetiva no da que comemorou seus 20 anos, e não tinha gostado da forma como isto ocorrera. Esta situação inclusive a tinha levado a experimentar a bissexualidade como opção, e, que tinha gostado mais de ficar com menina do que com menino.

Perguntei a razão e me confessou serem os garotos muito afoitos, interessados apenas em foder, enfiar seus pintos buceta adentro, sem qualquer preparação, sem preliminares que fossem interessantes, que despertassem sua curiosidade e tesão, enquanto com as meninas o carinho era total, o jeito era delicado e, embora a falta da penetração seu prazer era incomparável.

Confessou inclusive ter ido passar um final de semana na praia e os meninos da turma não saíram do videogame, enquanto as meninas acabaram numa suruba sem que os garotos percebessem nada... Triste.

Cartas na mesa... Vamos passar a tarde no Motel ? - Lógico, vamos sim...

Saímos do restaurante e ao nos dirigirmos para o estacionamento, vem de encontro uma garota muito bonita, gostosíssima, se beijam e se despedem. Minha amiga desde criança diz ela. Aquela que eu fico às vezes. Ela também é bi.

No carro o primeiro beijo, amassos suaves, afinal o local era público e movimentado.

Entramos no Motel a poucos km dali, e as surpresas se sucedem.

Esta menina era um deusa. Um corpo maravilhoso, sem pelinhos na xoxota, bundinha empinadinha, seios deliciosos muito chupados por mim naquele início, assim como seu corpo todo e chega a vez da bucetinha. Que coisa gostosa, cheirosa, molhada, mostrando um tesão que eu teria que dominar e satisfazer.

Nunca ganhei uma chupeta igual, feita com gosto. Aquelas de lambuzar o rosto e olhar pra mim com cara de felicidade.

Eu também me perdi no meio daquela linda xoxota, perfeita, maravilhosa.

Ai, o detalhe me matou de tesão, fui encaixar meu pau na portinha e quem diz que entrava ?

Molhada ao extremo, louca de tesão, ela olha pra mim como que pedindo e diz...Não desiste não tenta, que esta minha buceta nesta hora é um problema, é muito difícil de entrar nela, insiste, por favor... Como s isto fosse um problema e não uma delícia.

Não tenho pinto grande, fico bem na média dos 16 cm, apenas pouco mais grosso, mas nada que uma buceta ou cuzinho não consigam receber confortavelmente...

Caramba, deu trabalho...mas, venci.

Entrei naquela menina e forma deliciosa, conquistando cada pedacinho da bucetinha mais apertada que tive na vida... Ela gemia, virava os olhinhos, pedia que eu socasse, que afizesse gozar mais e mais.

Veio por cima, cavalgou, voltamos pro papai/mamãe, porque me pediu que gozasse olhando nos olhos dela e, assim foi. Inundei aquela coisinha de porra que vazava na minha saída, como se chorasse por ter terminado...

Voltamos a transar ainda mais uma vez neste dia e em todas as entradas a dificuldade era grande...”Esta minha buceta é um problema...”.

Já tivemos outras oportunidades, a segunda mais surpreendente ainda, mas este é um relato que fica pra outro dia.

Imaginem a minha felicidade em pegar uma menina 40 anos mais nova e ser elogiado, dizendo que queria sair sempre comigo, pela maneira carinhosa, a paciência sem pressa, detalhes estes que a tinham levado a buscar uma pessoa mais velha e experiente, e, que não tinha errado ao me escolher.

Viva as bucetas que são um problema...

http://www.casadoscontos.com.br/texto/2017011291

Compartilhe com amigos

Copiar Link Whatsapp Twitter

Comentar