Liberdade para a esposa

Categoria: 

Olá,

Estou aqui para compartilhar com todos, o meu estilo de vida.

Sou casado com uma menina linda, de apenas 22 aninhos. Gabi é loira, estatura média e um corpo de parar o trânsito. Recentemente turbinou os seios, sem exagero. Sou 30 anos mais velho do que ela, o que me impede de acompanhar sua energia. Sempre soube que a minha esposinha só está casada comigo, pela vida de conforto que proporciono a ela, devido à minha excelente situação financeira. Tenho fazendas no Mato Grosso, onde crio gado e não tenho herdeiros. Gabi tem rotina de princesa, dividindo seus horários entre academia, shopping, salão de beleza e baladas. Jóias e carro importado também estão na lista da minha ninfetinha. Sou bem liberal e sei dos casos dela. Gabi não me esconde nada, ganhando de mim confiança e cumplicidade. Dou tudo, o que o dinheiro pode comprar para a minha amada. Fico muito na fazenda cuidando dos negócios, enquanto minha menina ocupa seu tempo com seus amantes. Ultimamente tem mantido um caso fixo com o seu personal. Thiago é gente boa e da para minha mulher, a única coisa que nunca pude. Segunda ela, seu amante possui uma pica de 27 cm e muita grossa. Depois de dar sua bucetinha a noite toda pra ele, confessa que fica toda assada e lotada de esperma. Thiago é tarado e pega minha esposa de jeito quase todas as noites. Suas transas, quando não são lá em casa na nossa cama de casal, é em algum motel de luxo, pago por mim. Vejo na fatura do cartão, que minha Gabizinha não economiza com o seu macho, lhe enchendo de presentes. Com isto, meu chifre cresce a cada dia.

O que mais ela gosta, é saber que eu aprovo suas safadezas e fico bem mansinho. Gabi não aprecia a vida rural, se mantendo longe das fazendas e consequentemente de mim, que permaneço aqui 25 dias no mês. Fico em casa somente uma semana, retornando depois para a lida.

Enquanto estou em casa minha esposa me da atenção, mas não transamos. Ela diz que eu cheiro boi, deixando-a um pouco enjoada. Com as suas reclamações, durmo sempre no quarto de hóspedes. Ela até já mudou todas as minhas roupas pra lá, ficando com a suite principal. Thiago as vezes aparece em casa e não se incomoda com a minha presença. Vejo que ele já está bem à vontade e até abre a geladeira, para se servir de alguma bebida. Do quarto onde durmo, ouço a noite toda minha esposa gemer e gritar na rola do amante. Posso escutar até as frases de:

- Na minha bundinha, hoje não.

- Meu marido está aí. Respeite ele.

- Você não tem dó de mim?

- Sua piroca tá me assando.

- O que vou dizer amanhã para o meu esposo?

- Vem, me enche a bucetinha de porra seu cavalo!

- Fode a mulher do corno.

- Me da uma surra, me da uma surra. Me mata com essa pica.

- Da leitinho na boca da sua gatinha.

- Você é o meu homem.

Assim vai a noite toda. Só consigo dormir lá pelas 5h da manhã, quando o macho da minha esposa vai embora, antes dos empregados chegarem.

Quando acordo, me deparo com a Gabi na piscina reforçando o bronzeado. Me junto a ela, que não comenta nada da noite anterior. Evitamos um pouco esta discussão dentro de casa. A tarde Thiago volta, mas agora como personal. Os treinos da minha esposa, acontecem na academia que ela montou em casa. Tem tudo de primeira qualidade, que não fica devendo nada as franquias de Fitness. Seu professor age com profissionalismo, não deixando transparecer que meteu a noite toda com a putinha. Após duas horas de malhação Thiago vai embora, levando de mim um cheque pelo trabalho realizado. Só não sei se estou pagando pelas aulas ou pelas transas. Gabi toma seu banho de espuma, na imensa banheira do quarto que um dia também foi meu. Fico imaginando ela e seu namorado se divertindo na banheira, enquanto estou fora. Com certeza, ele já usou a Gabi nas dependências da suíte mais do que eu.

Sextas e Sábados, mesmo comigo em casa, Gabi não altera sua rotina e sai para as baladas. Ela sabe que não curto este movimento, portanto nem me convida. Se arruma sempre de forma sensual, usando roupas curtas e transparentes, me dá um beijo na testa e sai. Vejo ela indo de salto bem alto e bunda empinada.

Numa dessas saídas, já com o sol querendo nascer, ela me volta com dois homens diferentes e os leva para o seu quarto. Lá, os dois passam a rola nela. Ouço os adjetivos de puta, vaca, vagabunda, mulher de corno, vadia, chupadora de rola, entre outros. Sorte minha que era de sábado para domingo, quando damos folga aos empregados. Os dois comedores ficaram com ela no quarto até ao meio dia. Depois usaram a piscina, sauna e a foderam no sofá da sala. Fiquei trancado no quarto praticamente o dia todo para não perceberem a minha presença. Depois que partiram, fui conversar com ela e perguntar sobre Thiago. Minha esposa disse que os dois eram amigos dele e também professores de academia. Thiago devia uma grana para os dois e ela havia sido o pagamento. Minha menina tinha dado o Cú e a boceta para pagar dívidas do amante.

Agora, além de personal, ela tinha um gigolô.

Perguntei para a Gabi se ela amava Thiago. Ela foi bem clara quando disse que amor de verdade, ela sente por mim. Eu era um marido bonzinho, atencioso, entendia as necessidades dela e não a julgava. Por Thiago, era sentimento de pica. O macho dava a ela, rola grande, uma pegada forte, tapas na cara e na bunda, muita porra, beijos ardentes, chupões e muito mais. Eu tratava ela como uma princesinha, enquanto o amante a tratava como uma putinha. Ela tinha um carinho grande por mim e prometeu ficar casada comigo pelo o resto da vida, mas precisava do sexo que Thiago oferecia a ela.

O meu sonho era ter um filho com a minha esposa e lhe contei a idéia. A princípio houve um silêncio que se rompeu com uma gargalhada. Gabi me perguntou como teríamos um filho, se não transávamos?

Ela, com jeito, me disse que minha genética não era muito boa. Era um pouco Ogro, com uma "beleza" fora dos padrões aceitáveis pela sociedade, calvo, nariz um pouco grande e batatudo e facilidade para engordar. Tudo isto sem falar do meu pouco dote, ejaculação precoce e dificuldade de ereção. Ela me devolveu a questão, perguntando se eu queria um filho que seria Virgem para sempre?

Se realmente eu queria ser pai, então deveria desejar que a criança fosse linda, principalmente se fosse um meninão. Gabi então, desenhou o que seria um verdadeiro filho homem. Garotão lindo, alto, forte, cabeludo, pegador, uma máquina de testosterona, cacetudo, cafajeste e mulherengo. Se eu concordasse com ela, Thiago seria o reprodutor certo para dar um filho a mim, nela.

Pensando como Gabi, havia um certo racional em tudo isto. A beleza e masculinidade do amante da minha esposa aliados com as características dela, daria um belíssimo exemplar de garoto, se fosse um menino. Seria um garanhão e me encheria de orgulho. Sempre quiz ser assim mas a vida, em beleza, não foi justa comigo....rs. Meu sexo foi sempre limitado e só consegui me aproximar de mulheres, pelo meu dinheiro.

Se fosse uma menina, seria patricinha como minha esposa. Faria muito garotão perder a cabeça.

Deixei ela livre para engravidar de Thiago!

 

Compartilhe com amigos

Copiar Link Whatsapp Twitter

Comentar