Uma noite no swing

Categoria: 

21h00.

Hora de começar meu final de semana. Vou passar na casa da Marta, minha namorada, mas nessas noites ela prefere ser chamada de Suzzy. Então Suzzy está me esperando, usando um vestido curto vermelho, posso imaginar que está sem calcinha. Sem sutiã eu tenho certeza, os bicos de seus seios marcam o vestido, não está frio, ela que está excitada.

Só hoje já me mandou mais de 20 fotos de sua buceta. Prevejo que hoje ela estará insaciável.

Ela entra no carro. Seu cabelo castanho escuro está cheiroso, sua pela morena sedosa, também cheirosa. Ela me beija, com cuidado para não tirar o batom, que mais tarde irá manchar tantos paus, e por eles será desmanchado. Diz que o primeiro boquete da noite será meu.

Abre minha calça e começa a me chupar, enquanto eu dou a partida.

Ela me faz gozar antes do primeiro sinal vermelho. Olho pela janela os casais nos bares, não estariam todos eles querendo estar na minha posição?

Chegamos, prefiro não revelar o nome do local, mas adianto que é uma casa de swing. Está lotada, ela me olha feliz.

Nos encaminhamos para nossa sala quase VIP, que já está sendo usada por outro casal. Ela começa a me beijar, me pede para sentar na poltrona, do lado do outro casal, eu obedeço. Ela levanta o vestido, deixando aquela bunda sensacional de fora. Como eu já falei, sem calcinha. Ela fica de quatro para o casal e começa a me chupar.

Olha para eles, uma moça nova, de cabelos loiros e um rapaz igualmente novo, com uma rola quase pequena. Seria o ideal para começar. Faço sinal para ele. Pergunto se quer comer minha mulher. Ele faz que sim com a cabeça e se posiciona atrás dela, começa a contornar a vagina de suzzy, sua namorada vem me beijar e logo está dividindo meu pau com Suzzy.

O rapaz a penetra, ela geme baixinho.

Peço para a garota loira ficar de quatro também e começo a fodê-la.

Outros dois homens entram na sala. Ambos com seus instrumentos duros, apontado para o teto. Eles dão um para cada menina.

Pergunto ao rapaz se ele está próximo de gozar. Ele confirma. Peço para encher a buceta de Suzzy com sua porra.

Pelos gemidos identifico seu gozo.

Suzzy deita com as pernas abertas e um dos rapazes começa a comê-la. Nao deu tempo nem de escorrer o gozo do primeiro.

Nisso, percebo mais três ou quatro casais no nosso quarto. Todos fodendo entre si e interagindo com os demais.

Suzzy está chupando dois paus ao mesmo tempo. Nosso quarto está lotado.

Começo a beijar outra garota. Vou tirando sua roupa e tenho a grata surpresa de ser um travesti. Era uma moça branquinha de cabelos negros e uma piroca pequena. Peço para se apressarem, pois minha nova amiga teria prioridade com Suzzy.

O segundo rapaz esporra na buceta de Suzzy. A travesti começa a meter.

Acho que Suzzy nem sente, mas posso ver seus olhos revirando quando começo a penetrar no cu da travesti.

Suzzy também goza. A travesti goza. Eu gozo.

Vestimos nossas roupas.

Entramos no carro e vamos para casa.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201807317

Compartilhe com amigos

Copiar Link Whatsapp Twitter

Comentar