O dia em que trepei com meu professor na balada

Categoria: 

Olá, me chamo Sophia, mas podem me chamar de Sophi. Sou branquinha, tenho 18 anos, peitos grandes, cabelos ruivos repicados até a altura dos ombros, tenho 1.60, tenho pernas grossas e uma bunda bem durinha, tenho várias tatuagens e modéstia a parte sou bem gostosa e chupo bem pra caralho. Tudo começou quando meus amigos me chamaram para ir na balada, estava no meu cursinho pré vestibular, pois quero ingressar em psicologia. Na sexta a última aula é com um professor bem gostoso, da aula de filosofia, é alto, malhado, tem barba, uma voz grossa, deve ter em torno de uns 38 anos, e tem uma cara de safado que me deixa molhadinha toda aula. Nesse dia, fui com uma saia (esqueci a calcinha), com uma blusinha leve e decotada, salto alto e uma jaquetinha, Ricardo, meu professor, me comeu com os olhos a aula inteira, e eu fazia questão de provocar, abria as pernas todo o momento e quando ele percebeu que não havia algo ali ele ficou louco e bem nervoso, seu pau ficou duro na hora e a minha vontade era chupa-lo até o talo. Na hora de ir embora, fui me despedir, e deixei claro onde iria, ele me ofereceu carona e eu com uma cara de safada disse que meus amigos ja estavam la fora. Chegando na balada, dancei até o chão, me esfreguei em varios caras que passavam a mão em meus peitos e mordiam minha orelha, mas quando eu viro, vejo meu professor me olhando, fui comprimetar e quando chego perto ele me agarra ja enfiando o mão na minha buceta molhadinha e depiladinha, eu também, nem um pouco boba, meti a mão no seu caralho e fiquei massageando e gemendo em seu ouvido enquanto ele me dava dedadas e chupava meu pescoço. Ele pediu pra que fossemos em um terreno que estava vazio, que ficava bem ao lado da balada, eu ja estava bebada e topei na hora, chegamos la ele ja foi colocando o pau para fora e ja pegou em meus cabelos esfragando minha cara em seu pau, como eu amei aquilo, era grosso e tinha uma cabeçona, engolia inteiramente e cuspia para que entrasse mais facilmente, eu o olhava com uma cara de puta e ele me chamava de puta, vadia, e que sempre quis me foder, ele me levantou, chupou meus peitos e esfregou o pau na entrada da minha buceta, eu gemia como uma puta e ele adorava, ele me pegou no colo, me encostou na parede e meteu numa só estocada, ele fazia movimentos frenéticos eu amava aquilo, ele me beijava e me dava tapas na cara, até que ele anunciou o gozo, me colocou no chão, pegou nos meus cabelos e me fez engolir toda a sua porra, ele me olhou e disse," putinhas boazinhas recebem leitinho direto na boca', eu adorei sentir aquela porra quente e o que escorreu no cantinho da boca eu passei o dedo e o chupei fazendo uma carinha de putinha. Eu me levantei, e quando achei que havia acabado ele se abaixou, levantou uma das minhas pernas e começou a me chupar, enquanto apertava meus peitos, eu rebolava a minha buceta naquela cara e ele começou a enfiar dois dedos na minha bucetinha, ai eu enlouqueci e depois de um tempo anunciei que iria gozar e quando gozei ele chupou bem gostoso, ele se levantou me beijou a boca, e antes de sair me disse, "da próxima vez quero comer essa sua bunda gostosa", ele saiu, me deixando ali, toda trêmula, me arrumei e voltei para a festa toda satisfeita depois daquela trepada deliciosa.

Espero que gostem, quero deixar claro que todos meus contos são verídicos, beijos meus safadinhos <3

http://www.casadoscontos.com.br/texto/201701203

Compartilhe com amigos

Copiar Link Whatsapp Twitter

Comentar