O dia que meu namo e eu fudemos nossa vizinha putinha que é comprometida

Categoria: 

Eu moro na mesma rua desde que nasci, tenho amizade com alguns vizinhxs, e uma delas é a Kaline, a Kaline é 2 anos mais nova que eu, tem 21, não fomos amigas na infância porque eu andava com a irmã dela da minha idade. Mas a Kaline sempre teve algo muito diferente da irmã dela. Para começar pelo corpo, ela sempre foi bem corpuda, coxas grossas, bunda grande, usa óculos ate hoje, tem um sorriso bonito e um cabelo castanho e liso. E depois para falar da personalidade, posso dizer que sempre achei ela putinha. Quando com 16 íamos para as baladinhas ela com 14 ja queria ir, e as vezes tínhamos que levar... ela bebia e ja ficava se roçando com algum menino do bailinho.

Enfim...

A Kaline mudou, (mas só por fora), algum tempo depois, ela começou a namorar um cara bem mané, do tipo que proibiu os shortinhos apertados dela e os decotes que ela gostava. Eu e a irmã dela nos afastamos, e eu e ela nos aproximamos razoavelmente.

Um dia uma outra vizinha nossa nos chamou para a festa de aniversário dela, na mesma rua. E acabamos indo.

Ficamos conversando, eu, meu namorado Giovanni, ela e seu namorado Lucas.

O Lucas só falava asneira, dizendo que a Kaline só podia andar de calça mesmo. Que o que era dele ninguém podia olhar.

Enquanto eu, sempre usava roupas curtas e o Gio sempre excitado quando via outros machos olhando pro meu rabo.

Eu sou branquinha, cabelo preto, tatuada e olhos cor de mel.

O assunto estava ficando um pouco irritante então cortei a conversa e os chamei para ficarmos na sacada que era do outro lado da casa.

Ficamos jogando assunto fora, contamos á eles nossas experiências enquanto fumávamos um beck.

O Lucas indignado. A Kaline demonstrava um fascínio.

Ela começou a fazer graça pro Lucas, passando a mão no corpo dele, dando risadas, dizendo que ele precisava dormir na casa dela naquele dia. Mas ele mais uma vez ficou irritado.

Foi ai que descobrimos que íamos fuder ela.

Algum tempo depois ele teve que ir embora, e ficamos nós três conversando ate que de repente... "Posso dar uma tragada?" eu um pouco impressionada com a atitude inesperada, passei o beck e falei pra ela ir devagar.

A brisa bateu nela um pouco depois, onde ela começou a rir e sorrir pra gente. Então o segundo inesperado aconteceu, ela chegou perto e me beijou, a língua dela molhada, sedenta.

"Desculpa, é que vocês contaram tantas coisas, o Lucas odiou, mas eu percebi que não to vivendo nada de alucinante namorando com ele a 5 anos ja"

Nós chapados apenas rimos sem saber o que falar, e ela voltou a me beijar, dessa vez mais rápido e com mais tesão.

E então ela trocou da minha boca para a do Gio, e eu aproveitei para levantar a blusa dela e mamar seu peito.

Enquanto eu mamava, sua mão estava no meu pescoço, forçando mais ainda minha boca no seu corpo.

Ela voltou a me beijar, e num puxão tirou minha blusa e colocou a mão dentro do meu shorts.

Enquanto ela mexia na minha buceta e mamava meus peitos, o Gio ja estava atrás dela tirando sua calça, ajoelhando e chupando tudo.

Ela gemia sem parar, igual uma boa puta faria.

Então o Gio levantou uma perna dela, molhou o pau e socou na buceta com força.

Ela gemia cada vez mais. "Agora você pode ser a putinha que sempre quis"

Tirei a mão dela de dentro da minha calça e abaixei. Coloquei a boca na buceta dela enquanto o Gio metia, e tirava o pau, e colocava na minha boca, eu mamava com gosto e socava na buceta dela de novo.

Um pouco de juízo tomou conta de mim quando percebi que poderiam aparecer a qualquer momento.

Como conhecia a casa da época da infância, sabia que tinha uma porta da varanda que dava no quarto da filha da minha vizinha.

Por sorte a porta estava aberta, entramos.

"Deita na cama e me deixa te chupar" ela me disse.

Eu deitei e abri as pernas pra ela enfiar a boca macia em mim.

"Eu quero no cú Gio. O Lucas não mete no meu cú porque diz que não gosta"

E o Gio preparou o cú apertado dela para meter, lambeu, coloquei um, depois dois dedos, e depois a cabeça do pau.

Ela de quatro, gemeu de dor enquanto me chupava "caralho, isso dói muito, não vou conseguir!"

Eu então levantei, me posicionei em 69 com ela, eu por baixo e ela permaneceu em cima de quatro. "Relaxa vai dar certo", comecei a chupar gostoso a buceta dela, enquanto o pau entrava no cuzinho apertado arrebentando.

Ela foi relaxando, e o pau entrou todo. E o Gio começou a meter no cú da putinha enquanto eu chupava a bucetinha e ela gemia.

Ele metia todo o pau pra arrombar a gostosa.

"Duda, vem aqui, senta em cima dela com a bunda virada pra mim que vou intercalar meu pau em vocês"

Ela ficou por baixo abaixada na beira da cama, e eu em por cima.

O pau do Gio ia da minha buceta pro cú dela, 5 bombadas em cada.

"Agora o Lucas não vai entender porque você ta com o cuzinho arrombado rs"

Eu ria enquanto beijava a boca gostosa dela.

Estavamos nesse ritmo com muito mais a fazer ainda, ate que ouvimos a maçaneta da porta girar e alguém falar la fora "Porque a porta esta trancada por dentro?"

Nos entreolhamos, e em um pulo levantamos e colocamos nossas roupas.

Abrimos a porta da sacada bem devagar, descemos as escadas correndo e fomos embora.

O quarto da nossa vizinha ficou com o cheiro da nossa foda, e ate hoje a putinha da Kaline manda mensagem pra fudermos.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201803173

Compartilhe com amigos

Copiar Link Whatsapp Twitter